07 dezembro 2011

Segunda Entrevista Inutilidade: Luis Silva

Gente, venho comunicar que a Primeira entrevista Inutilidade deu MUITO certo e como é Dezembro, postarei essa semana somente de entrevistas. Ok? Agora fiquem com a segunda.

                              Segunda Entrevista Inutilidade: Luis Silva
  

Bruno:
Ok, vamos lá.
Hoje na segunda entrevista Inutilidade vamos entrevistar o garoto de Varginha: Luis Silva.
Suave na Nave?
   Luis    :
Estou ótimo =) E você?

Bruno:
To bem, também. :)
 Bem, pelo que sei você é viciado em séries. Acha que das séries atuais alguma tenha caído de qualidade e tenha feito você perder o ''tesão'' por ela.
   Luis    :
Acho que a maioria das séries perdeu a qualidade esse ano, uma péssima coincidência. Glee perdeu o jeito e The Walking Dead enrolou demais, tornou-se chato em um ponto. Mas eu gosto muito de séries, acho que elas são, de certa forma, as novelas que eu sempre quis ver.

Bruno:
De quais, você é fã?
   Luis     diz:
Friends, pra começar. Foi a série que mais marcou a minha vida e a que mais me tocou nos mais variados sentidos. Friends marcou muito a minha transição de criança para adolescente, refinou muito o meu humor, minha visão do que é engraçado e o que é Zorra Total. Hoje tenho uma cachorra chamada Phoebe e costumo assistir episódios quase sempre, mesmo que já tenha assistido todas as temporadas zilhões de vezes lol1

Bruno:
Glee tem uma grande quantidade de fãs quanto homem e mulheres. O que acha do Preconceito de Homens assistirem Glee?
   Luis    :
Ah, isso é um preconceito bem burro, aliás, não existe um preconceito inteligente sequer. Glee aborda muito a questão homossexual como uma parte da vida, uma característica normal de uma pessoa. Alguns chamam isso de apologia, acho que não chega a tanto, ninguém precisa assistir uma série para se tornar gay. Assim como temos na TV um monte de programas exaltando a igualdade racial, social, acho que a igualdade de orientação sexual é algo deveras importante. Já passou da hora de achar errado gays na TV.

Bruno:
The Walking Dead virou um verdadeiro sucesso pelo que é visto em todo lugar. Acha que a série mostrou o outro lado dos Zumbis que a maioria dos filmes do mesmo gênero não mostrou?
   Luis     :
Os zumbis de TWD são os mesmos de Resident Evil ou dos filmes do gênero. Mesmas características, a mesma lenda. Ainda bem, btw. Essa moda de inovar seres 'antigos' não anda dando muito certo, vide vampiros brilhando. The Walking Dead é uma série tão aclamada por explorar o mundo humano dentro da temática zumbi. A gente sempre pensa nos zumbis, no terror, no quanto o mundo estaria fodido se acontecesse um apocalipse zumbi. The Walking Dead mostra que mesmo com tudo isso, a vida continua para as pessoas. Recomendo para qualquer pessoa, gostem ou não dos 'walkers'.



Bruno:
Mudando das séries para os filmes/livros. Por que livros como: Harry Potter, Crepúsculo e Crônicas do Gelo e Fogo fazem tanto sucesso e acabam virando modinha?

Luis:
Os três livros são imensamente diferentes, mas vou tentar falar um pouco de cada. Harry Potter surgiu em uma época onde a literatura juvenil não tinha grandes representantes atuais e a história é muito fantástica, muito bem bolada. Os personagens, o antro, o enredo, tudo é muito bem esquematizado em linhas não muito aprofundadas. Você não morre de ler sobre um personagem nem precisa conhecer tanto do mundo bruxo para entender a história. Harry Potter também acompanhou a minha geração, cresceu conosco. Isso é um ponto fundamental para o sucesso da saga, o amadurecimento dos livros conforme nosso amadurecimento.
   
   Crepúsculo ficou tão famoso por ser um livro de romance para homens e mulheres. Não que ambos estão inclinados a gostar do livro, mas ele foi ambicioso e teve pontos inteligentes, que merecem reconhecimento. Porém com a popularização do livro, ele perdeu muito o respeito, e, ao meu ver, o último livro foi totalmente feito para agradar a mídia, os que não ligam para a história e sim para o dinheiro que a série pode fazer.
   
   Por fim temos As Guerras dos Tronos, livro excelentíssimo e de encher os olhos. Uma história como aquela nasce de geração em geração, Tolkien e Lewis ficariam felizes de ver essa saga nos dias de hoje. É um livro tão famoso por ser muito bem feito, escrito e que dá uma nova cara para livros naquele estilo, sempre tão "formais" e reboscuados. As Guerras dos Tronos tem uma leitura belíssima e, mesmo assim, que flui.

                
  Bruno:
Alguns livros de Policiais/Suspense não viram modinha por não serem fantasiosos. Acredita que muitos buscam a fantasia do que a realidade?
   Luis    :
Acho que depende da faixa etária. Eu mesmo não suportava livros muito realistas quando mais novo, hormônios... Mas você cresce e quer logo ler coisas que te façam pensar, que te deem um valor extra. Acho que a fantasia abre ao leitor uma abrangência muito maior para imaginação, para criar o livro na cabeça, mas isso não quer dizer que um livro baseado em um mundo real não possa fazer.
 O preço influencia bastante, também. Livros fantasiosos e séries mais populares são muito mais baratos
que os outros.       

Bruno:
Mudando de assunto: Você é um dos administradores da R1(Route One), Forum atualmente de RPG, que já foi somente de Pokémon.  Você é um segundo pai/mãe  para todo mundo ali, já que tem que resolver as coisas aos trancos e barrancos. Desde que ela foi criada, apos o fim da Myutsu, acha que mudaram muitas coisas no forum? O que?

   Luis:
Acho que a Route One nasceu e até hoje é mais um refúgio do que um fórum de alguma coisa para os que a frequentam. Você está lá, sabe disso. Na R1 vemos que as pessoas, mesmo longes, podem mudar drasticamente nossas vidas. Eu já passei por situações importantíssimas da minha vida com as pessoas que estão ali, já compartilhei coisas no fórum que não faria na vida real, acho que é uma segunda casa, um mundo só nosso. A grande diferença entre a Myutsu e a Route One é que nunca quisemos nada além de um lugar no mundo para continuar vendo pessoas que gostamos e que moram, infelizmente, longe

E sem querer puxar sardinha, acho que a Route One tem muito mais ânimo que a Myutsu em N quesitos. A Route One me passa uma ideia de comunidade onde todos ajudam, enquanto a Myutsu era um centro de venda de certas coisas com funcionários qualificados a trabalhar para os 'clientes'.

Bruno:
Sei que você valoriza muito suas amizades no forum. Amizade de Internet é diferente da amizade de amigos reais ou e a mesma coisa?
Luis:
Depende muito da amizade. Amizades reais podem ser superficiais e amizades de internet podem valer o mundo para alguém. Só acho que para você ter uma amizade superficial na vida real é porque a pessoa não vale a pena ou simplesmente porque vocês não combinam. Agora uma amizade superficial na internet pode acontecer por falta de tempo de ambas as partes, coisa do tipo.
Eu deixei de comparar amizades quando percebi que cada pessoa faria falta em minha vida se fosse embora. Acho que cada amigo meu tem um pequeno pedaço de mim que faria falta e me deixaria 'diferente'. Desde então minha vida tem sido mais fácil, é bom saber que eu tenho muitos portos seguros, online ou ao vivo.

Bruno:
Ok, Para terminar mande um recado para todo mundo que está Online que vai ler sua entrevista.  

   Luis:
Bem, eu conheço o Bruno, Linger, wtv, há um bom tempo e sei o quanto ele deu duro pra achar o seu lugar no mundo. Algumas pessoas nascem pré-destinadas a alguma coisa e outras, como o Bruno, precisam descobrir esse 'destino'. Não acho que seja um caminho difícil, mas também não acho que é uma batalha fácil. É bem diária, bem persistente. Só posso dizer que se você apoiou-o em algum momento com este blog você fez um Bruno mais confiante e forte do que antes. E espero que isso nunca mude, né? Aloha (:    
Siga-o:
Twitter: Luisminduim    

Um comentário:

  1. Oi,
    sou David Iannini(Produtor de moda e Styling, e editor do blog Acordei Fashionista).
    Encontrei seu blog em buscas pela net, adorei o espaço!
    Aproveito para deixar o link do meu blog!
    http://acordeifashionista.blogspot.com/
    Se curtir me segue(sigo devolta).

    Não importa como vc está se sentido hoje: levante-se, vista-se, e brilhe!

    Abraço!

    ResponderExcluir